Quais as mudanças na conta de luz após instalar Energia Solar?

Tempo de leitura: 4 minutos

A energia solar tem inúmeros impactos positivos, um dos mais vantajosos é o fator econômico, evitando flutuações e grandes variações na conta de luz. O sistema elétrico brasileiro é predominantemente hídrico, por isso, as intempéries podem alterar significativamente o preço e o consumo da energia residencial.

Então, como fica a conta de luz depois de instalado o sistema solar? O usuário recebe créditos? Como utilizar? Para sanar todas essas dúvidas, explicaremos aqui, tudo que você precisa saber sobre a conta de luz solar.

Fatura convencional:

Antes de explicar sobre a fatura de luz solar, é importante entender como funciona a convencional, e como seu valor é calculado.     

A conta de energia convencional é calculada da seguinte maneira: A quantidade de energia gasta em Kw, multiplicado pela quantidade de horas utilizadas, variando de 27 até 33 dias.

O resultado dessa conta será a utilização da residência em KwH (KiloWatt/Hora).

Depois é só multiplicar esse resultado pela tarifa de energia do estado, e o resultado será a tarifa identificada na fatura como TE (Tarifa de Energia), ou seja, o uso total da residência.

A fatura ainda cobra um extra, chamado de TUSD (Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição) que é um valor pré determinado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) para a disponibilização da do sistema de rede elétrica, os postes, e toda a infraestrutura que leva a energia até sua casa.

A conta de energia final, paga pelo consumidor, é a soma do TE + TUSD.

Alguns outros tributos serão acrescentados a depender do estado, como ICMS, PIS e COFINS.

Com energia solar:

Agora que você entende basicamente como é calculado a conta de energia convencional, resta saber como fica a energia solar.

Com o sistema solar, a conta de energia irá depender do quanto os painéis produziram no mês. Se o sistema fotovoltaico produziu mais energia do que foi consumida pela residência, então, esse valor será abatido do TE e irá gerar créditos de energia.

Se o sistema produziu menos energia do que foi consumida pela residência, ela irá contabilizar apenas o que foi utilizado pela rede externa, e esse valor também será o TE.

É importante notar que em ambos os casos, o TUSD sempre será pago, simplesmente pelo fato do sistema elétrico externo estar disponível para a utilização. Essa é a taxa mínima cobrada pela distribuidora, e varia de local para local, por isso, o ideal é consultar sua conta de luz para verificar o valor.

Créditos:

Entendemos então que a conta de energia solar, no caso de produção excedente, somente a tarifa mínima (TUSD). Mas e os créditos de energia, como funcionam?

A energia solar produzida pela residência, que for excedente ao consumo, é injetada diretamente na rede elétrica externa, e pode ser utilizada por outras residências. Ao fazer isso, a residência que produziu a energia, será recompensada com créditos de energia, além disso, quem produz energia solar também recebe isenção sobre os impostos normalmente cobrados.

Os créditos de energia funcionam da seguinte maneira: a quantidade de energia excedente é abatida nos meses em que a energia produzida não foi suficiente, ou seja, se sua residência produziu 1Mw de energia excedente no mês, ela ficará “guardada” pelos próximos 60 meses, e se em algum dia, sua residência utilizar 1Mw de energia externa, ela não será cobrada, por causa do crédito que foi gerado.

Mais descontos:

Com a redução de até 95% da conta de luz, a energia solar só traz vantagens, porém, elas não param por aí. Os sistemas de crédito, por exemplo, podem ser utilizados em outras localidades (desde que dentro da mesma concessionária de energia). Se você possui uma fábrica que gera excedente de energia, esse valor pode ser abatido na sua residência.

Condomínios que possuem energia solar, dividem os créditos igualmente em todos os apartamentos, gerando ainda mais economia. Além disso, os sistemas fotovoltaicos são tecnologia de ponta, e todo o consumo e geração de energia podem ser acessados por aplicativos e Wi-Fi, tendo um controle maior sobre os gastos.

Conclusão:

Os sistemas fotovoltaicos, além de trazer diversas vantagens para o meio ambiente, são extremamente econômicos. Seu investimento inicial permite que a conta de luz seja mais controlada, e não esteja sujeita às variações do estado.

Por isso, se você está pensando em investir em energia solar, não deixe de conferir nosso simulador. Se está com dúvidas e quer entender um pouco mais, veja aqui no Blog outros artigos para se informar melhor.

Mas se já está decidido em fazer o melhor investimento, contate-nos pelo nosso WhatsApp: (15) 3342-7954 estaremos à disposição para ajudá-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *